Por que a Bitcoin é considerada uma bolha prestes a explodir?

A cada dia, as pessoas escutam falar mais na Bitcoin, no sucesso que muitos tiveram ao adotá-la como investimento e também no perigo e ruína que ela representou para outros tantos. Porém muitas delas não entendem exatamente o que é Bitcoin e por que ela é considerada tão perigosa.

Pois bem, a Bitcoin pode ser sim muito lucrativa, assim como muito perigosa para seus investidores. O seu grande diferencial é que ela é totalmente virtual. Ou seja, não existe fisicamente, sendo armazenada apenas em um carteira virtual/digital.

O fato da Bitcoin não ser regulada por um Banco Central, tal como o real, dólar… a tornou extremamente volátil e supervalorizada. Por ter sua emissão descentralizada, ou seja, não sendo fabricada apenas em um único lugar, ela passou a ser considerada como moeda do futuro.

Mas por que usar Bitcoins em vez de reais, dólares, euros ou todas as outras 177 moedas reconhecidas pela ONU? Simples: a moeda, além de simular o ouro, é imune a inflação, o que a torna mais atraente que as outras moedas físicas, de papel.

O que é Bitcoin, quando surgiu e qual sua relação com o ouro

O criador da Bitcoin, Satoshi Nakamoto, idealizou sua criação para ser uma moeda universal. Ele criou um sistema de “mineração” da Bitcoin limitado a “imprimir” somente 21 milhões de unidades até o ano de 2140.

Desta forma, Nakamoto esperava simular a mesma raridade de mineração de metais preciosos como o ouro, por exemplo, tornando a Bitcoin cada vez mais valiosa e atraente, conforme a demanda fosse crescendo, o que de fato, aconteceu.

O processo de mineração de uma Bitcoin consiste em instalar um software e resolver problemas matemáticos. Quando foi criada, lá em 2009, a Bitcoin podia ser minerada por qualquer computador do mundo.

Atualmente com tantos mineiros e a baixa oferta de Bitcoins (já que somente 4 das 21 milhões permanecem não descobertas), os problemas ficaram tão difíceis que somente supercomputadores agrupados funcionando 24h são capazes de minerar Bitcoins.

E conforme mais Bitcoins foram sendo mineradas, a recompensa dos mineiros também foi reduzida. Hoje, somente frações da Bitcoin são “encontradas”.

Supervalorização e surgimento da temida bolha de Bitcoins

Conforme a mídia começou a divulgar o sucesso dos investidores com a Bitcoin, noticiando que pessoas comuns que nunca tinham investido no mercado financeiro se tornaram ricas rapidamente, a moeda virtual sofreu uma supervalorização nunca vista no mundo.

Em 2010, um programador americano comprou pizza de um amigo por 10 mil Bitcoins. Na época, a moeda não valia quase nada. No final de 2017, 10 mil Bitcoins valiam R$ 650 milhões.

Ao saber desse e de outros casos, milhares de pessoas começaram a minerar ou comprar Bitcoins de empresas como a Mercado Bitcoin, Foxbit e outras. Esse processo supervalorizou as Bitcoins e uma bolha se formou no mercado.

Especialistas, como o professor de economia do Ibmec do Rio de Janeiro, Daniel Sousa, alertam que “pessoas que não eram investidoras antes e não conhecem o mercado financeiro simplesmente ouvem falar das Bitcoins e compram porque ouviram dizer que alguém ganhou muito dinheiro. Esse é um sinal claro de que uma bolha se formou”, diz Sousa.

Mas o que é a bolha Bitcoin e qual o seu perigo para os investidores da criptomoeda?

Imagine que você comprou 100 unidades da Bitcoin em 2009, quando ela quase não tinha valor. Hoje, você estaria rico, já que, na Lei da Oferta e Procura, quando a demanda supera a oferta, ocorre o aumento do preço, o que aconteceu principalmente em 2017, por isso a supervalorização.

Agora imagine que a Bitcoin tenha uma desvalorização de 50%, em apenas um dia e siga desvalorizando nos próximos dias… rapidamente, todas as pessoas que já compraram, vão querer vender suas Bitcoins juntas, para não perder mais dinheiro. É aí que acontece o chamado “estouro da bolha”.

Ora, se todos quisermos vender nossas Bitcoins ao mesmo tempo, as empresas não poderão pagar todos os investidores, já que quando compramos as moedas, pagamos muito menos por elas.

Por exemplo, imaginemos que uma empresa tem 50 investidores e todos eles tem 10 Bitcoins cada, comprados quando o Bitcoin valia US$ 250. Hoje, a empresa teria US$ 125,000 em caixa, valor pago pelos 500 Bitcoins de seus clientes. Porém seus investidores teriam no somatório de suas carteiras digitais, o montante de US$ 9 milhões (valor de todos os 500 Bitcoins na cotação de dezembro de 2017). Como essa empresa pagaria todos os clientes se eles resolvessem vender seus Bitcoins ao mesmo tempo?

Com todos vendendo e ninguém comprando, o valor só irá baixar. Assim, o estouro da bolha Bitcoin promoveria uma desvalorização em cadeia e traria muito prejuízo para todos os investidores.

Como comprar Bitcoins e investir com segurança então?

Para comprar Bitcoins e investir com segurança, é necessário que você adote a Bitcoin como complemento de seus investimentos e não como único investimento.

Afinal de contas, a moeda virtual é sim muito lucrativa atualmente, mas também muito perigosa, visto sua altíssima volatilidade. A cotação da Bitcoin chega a cair ou subir dois dígitos em um mesmo dia.

Portanto, invista de 1% a 5% do seu patrimônio mensal reservado para investimentos em Bitcoins e encare esse investimento como longo prazo. Ou seja, faça planos para usá-lo somente no futuro, tal como fazemos com investimentos em renda fixa e tesouro direto.

Confira dicas e saiba onde e como funciona o processo de compra de Bitcoins clicando aqui. É possível comprar frações da moeda com apenas R$ 50.

Mais conteúdo e dicas sobre Bitcoins e outras criptomoedas?

Basta clicar aqui.

Comentar

William Pompeo

Web designer gaúcho que adora novidades, apaixonado pela tecnologia e por tudo que ela possa oferecer. Idealizador e editor do site ComprasImportadas.com

E-mail YouTube Instagram Facebook Twitter

Seja o primeiro a comentar em "Por que a Bitcoin é considerada uma bolha prestes a explodir?"

Comente isso

Seu e-mail não será publicado.


*