A melhor forma para importar o Xiaomi Mi 6

A Xiaomi, empresa chinesa de celulares, vem chamando cada vez mais a atenção com construções belíssimas e potentes em smartphones. Recentemente, eles apresentaram o seu mais novo top de linha, o Xiaomi Mi 6, smartphone com Android 7, design elegante e hardware parrudo. Neste artigo falaremos da melhor forma para importar o Xiaomi Mi 6.

Embora a Xiaomi já tenha se aventurado em terras tupiniquins, a empresa encerrou suas atividades no Brasil em 2016, deixando muitos fãs orfãos e à procura de novas formas de conseguir os smartphones da empresa, principalmente seu top de linha, o Xiaomi Mi 6.

Atualmente podemos adquirí-lo em lojas chinesas, como AliExpress, BangGood e GearBest, e pelo Mercado Livre, site com cobertura e vendedores do Brasil. Portanto, temos duas formas de comprar o Xiaomi Mi 6. Importando-o ou importando-o. Entenderam?

Pois é, o fato é que mesmo os smartphones ofertados no Mercado Livre são importados da China e geralmente temos que esperar o mesmo tempo que se comprassemos nas lojas de lá.

Mas então qual é a diferença de comprar de vendedores brasileiros e chineses, já que ambos vem da China? A resposta é simples: forma de pagamento. E é neste post que explicamos exatamente isso: a melhor forma para importar o Xiaomi Mi 6. Confira:

Processo de importação

Primeiramente precisamos lembrar o que envolve o processo de importação. Muitas pessoas decidem comprar um smartphone em lojas chinesas porque é realmente muito vantajoso, já que o valor de um smartphone top de linha chinês chega a ser metade do valor de um smartphone top de linha encontrado no Brasil, como o iPhone 7 e Galaxy S8 (Aliás ambos esses smartphones também podem ser adquiridos de forma mais barata que se comprado no Brasil, veja como aqui para iPhone 7 e 7 Plus e aqui para o Galaxy S8 e S8 Plus).

Porém muitas das pessoas não sabem que isso é uma importação e que terá que pagar 60% do valor do aparelho + valor do ICMS de seu estado quando for retirar o produto nos Correios, após processo de tributação realizado pela Receita Federal, aqui no Brasil. Assim, dito isto, vejamos a diferença de valores para ambas as importações do Xiaomi Mi 6, seja ela feita por uma loja chinesa, seja pelo Mercado Livre.

Lojas chinesas X Mercado Livre

Quando compramos um smartphone numa loja chinesa, como AliExpress, BangGood e GearBest, temos que pagar o valor do produto à vista, com cartão de crédito internacional e esperar geralmente de 30-90 dias para recebê-lo (conforme frete escolhido). Vamos combinar que nem todos nós temos 300-600 dólares (valores médios dos melhores smartphones chineses) para desembolsar de uma vez só. Certo?

Pois é, é nesta hora que entra o Mercado Livre. A grande vantagem que os vendedores do site oferecem aos seus possíveis compradores é a possibilidade de parcelar o smartphone em até 12x no cartão de crédito. Confira os anúncios abaixo:

O primeiro anúncio é do AliExpress e oferta o Xiaomi Mi 6 por US$ 418,99 dólares, cerca de 1.406,93 reais. Portanto você pagará esse valor + os 60% da tributação + ICMS do seu estado. Para termos uma ideia deste valor, podemos usar o site tributado.net para calcular o possível valor final do Mi 6. Na data de publicação deste artigo, o valor (que varia conforme a cotação do dólar) era de R$ 2.570,61 (ICMS de SC).

Já no segundo anúncio, vemos o vendedor ofertando o mesmo modelo do Xiaomi Mi 6 com impostos de importação já incluídos, ou seja, pagos por ele, por R$ 2.600 com possibilidade de parcelamento em até 12x. Portanto temos basicamente o mesmo valor final, porém com a vantagem de podermos parcelar o smartphone se comprarmos pelo Mercado Livre.

Conclusão

Levando em conta a tributação correta, ambos os smartphones tem o mesmo valor, independente de onde forem adquiridos. Portanto a facilidade de parcelamento oferecida pelo Mercado Livre torna a compra do Xiaomi Mi 6 mais vantajosa, nesta via de importação.

Porém é importante ressaltar que o valor do imposto nunca é certo, o que pode tornar a compra por loja chinesa mais ou menos vantajosa que no Mercado Livre. Podemos ser tributados em menos de 60%, exatamente neste percentual ou até mesmo em mais de 60%. Na verdade este valor é estipulado pelo fiscal no ato da tributação. Portanto fica a seu critério correr ou não tal risco.

O fato é que se escolhermos uma loja chinesa, o ideal é optar por uma loja menos conhecida, para ter menor chance de sermos taxados numa porcentagem alta, já que lojas mais populares são mais visadas pela fiscalização. Já no caso de comprar no Mercado Livre, o importante é procurar um vendedor com reputação alta e, principalmente, questionar e ter a certeza que as taxas de importação serão pagas pelo vendedor.

Algumas pessoas não leêm os anúncios e acabam achando que o valor do produto é somente aquele. Mas nem todos os vendedores deixam claro quem pagará a tributação do produto, já que esses vendedores realizam um processo denominado “Drop Shipping” que, basicamente, consiste em importar algo e revender a terceiros. Então questione e então aproveite!

Saiba mais

Se interessou pelos smartphones chineses? Então conheça os melhores modelos chineses atualmente encontrados no mercado clicando aqui e surpreenda-se.

Seja o primeiro a comentar em "A melhor forma para importar o Xiaomi Mi 6"

Comente isso

Seu e-mail não será publicado.


*